Quinta-feira, 16 de Junho de 2005

Essência da Natureza.

algarvio1.jpg


 


Telas encantando olhares que se misturam, perdendo-se no Céu reluzente. Nuvens abraçando luzes que se espalham em lugares nossos. Um lugar de nomes de anjos,  tecto azul misturando-se com diversas cores.


Somos as cores do mundo. A terra que se deixa beijar pela chuva, que se deixa queimar pelo Sol. Somos as sementes, o polén da vida, as flores perfumadas que se abrem sentido o beijo sublime do Sol. Somos o calor da noite, do frio seco, das tempestades. Somos do mar, das conchas, das algas marinhas, da espuma a beira-mar. Somos as madrugadas despidas, o reflexo do beijo do luar.


Somos assim, essência da natureza...


publicado por Ejamour de Carvalhais às 12:29
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Anónimo a 20 de Junho de 2005 às 09:25
:)Lost in Space
(http://www.rainhadovazio.blogspot.com)
(mailto:helenaetrusca@msn.com)


De Anónimo a 18 de Junho de 2005 às 20:04
Passei para deixar um beijinho!sussurros da lua
(http://blogfullmoon.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sdrcarvalho@hotmail.com)


De Anónimo a 18 de Junho de 2005 às 10:22
"Somos as madrugadas despidas" e o cabelo ondulado da terra nos caules das ervas, as estrelas em queda estilhaçando noites, as fendas das pedras e os pássaros dourados em fuga, as flores vermelhas nascendo na curva dos montes...somos a essência da natureza.
Gostei do teu blog. Escreves bem e mais do que isso, pareces ter uma escrita genuína e sincera.
bjEstricnina
(http://www.arboldelolvido.blogspot.com)
(mailto:gothraindrop@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 21:54
"Reflexo do beijo no luar"...adorei este bocadinho mas todo o texto é fantástico:)) Beijo enormesylpha
(http://almanua.blogs.sapo.pt)
(mailto:sylpha@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 18:39
Somos assim!!! Perdemo-nos, encontramo-nos mas sempre com um próposito, alcançar a essência do Amor.Bjscuriosa paixao
(http://curiosapaixao.blogs.sapo.pt/)
(mailto:curiosa-paixao@sapo.pt)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo