Sábado, 28 de Janeiro de 2006

Um beijo no teu coração.

"Acordei e pensei que quero beijar-te o coração para sentires o amor que te poderei dar..."


Esta frase li e reli nos teus olhos, quando cruzei contigo nos meus sonhos. Não te quero perder o rasto, quero seguir-te como um fiel seguidor de uma doutrina que nunca se esquece, apenas mantém-se. É deveras sofredor o nada em mim sem ti aqui. Passeio a alma algures, não sei se me sentes dentro de ti por isso quero-te beijar o coração.


Abre o coração, sente o quente dos meus lábios, sente-me... Sim sente-me, eu sei que talvez possas me compreender que tudo isso não é apenas um desejo mas sim um sonho real, tão real como a chuva que cai sem direcção. Eu sou incerto tão incerto que não sei de mim... Sem ti sou tenho pedaços de mim que pairam no Céu, que atravessam montanhas que se perdem no vento como as cinzas, minhas cinzas, minha fogueira acesa.


Um beijo no teu coração. Um beijo e eu dir-te-ei tudo. Todos os sentires nesse simples gesto. Vem trás o coração e sente o meu beijo quente. Esse beijo de amor.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 11:52
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Anónimo a 5 de Março de 2006 às 23:45
Outro no teu...SHINE
(http://.)
(mailto:mssinet@hotmail.com)


De Anónimo a 26 de Fevereiro de 2006 às 04:50
adorei uma paixâo que ultrapassa parreiras parabens continue apaixonado pelas palavras e poesiafabiana antunes
</a>
(mailto:fabyky@bol.com.br)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2006 às 17:03
"Um beijo no coração..." Haverá melhor lugar para se beijar? :-)) Gostei muito! Abraço!ferrus
(http://ferrus.blogs.sapo.pt)
(mailto:ferrus1@gmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2006 às 09:58
Por ti rumo em sete mares,

Em caravelas naufragadas,

Faço teu, os meus cantares

Em lágrimas salgadas.



Procuro teu porto divino,

Teu corpo de seda moldado,

Entre teu olhar de ouro fino

Mas eu, pobre coitado...



Doces águas murmurantes

Onde eu me esqueço.

Somos dois amantes,

Mas mulher, eu não te conheço!



Sinto que me afundo

Em letras que leio

Desejo profundo

Nas ondas do teu seio.



Afundou-se o barco, eu dormia

E tu que estavas tão perto,

Meu Deus quem diria!

Que o mar ficou deserto.



marta
(http://perfumedemulher.blogs.sapo.pt)
(mailto:marta_ribeiro89@hotmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2006 às 09:52
E haverá beijos melhores que esses ;) ? Um beijo enormeNeith
(http://www.echoes.blogs.sapo.pt)
(mailto:neith@sapo.pt)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 09:48
Olá, que te posso dizer quando fico sem palavras? Simplesmente está lindo, fantástico. Mostra o que sentes. Percebi, entendi, compreendi, adorei a mensagem. Jinhux muito grandes de mim para ti!celta
(http://hotmail)
(mailto:celtacc@hotmail.com)


De Anónimo a 29 de Janeiro de 2006 às 23:47
Simples é o amor.A beleza do teu texto é um hino ao amor."Beijo o teu coração"que frase maravilhosa para dizer,a quem se ama.
Beijinhos
MariaII
Maria
(http:vahalla.blogs.pt)
(mailto:Mariam12@sapo.pt)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 19:17
Está magnifico e penso que é um dos teus melhores textos... Um beijinho grandeAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 15:37
Senti o calor do teu beijo...Encantamentos milMagia
(http://outrapartedemim.blogs.sapo.pt)
(mailto:perlimpimpins@sapo.pt)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 14:12
Que resta depois da confissão que não seja beijar o coração...lindo e com a emoção é flor da pele...beijos com carinho...Lagoa_Azul
(http://www.lagoaazul.blogspot.com/)
(mailto:bomdialagoaazul@gmail.com)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo

.arquivos

. Abril 2017

. Outubro 2016

. Junho 2016

. Outubro 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

.links