Terça-feira, 14 de Junho de 2005

Nas minhas mãos...

 


Nas minhas mãos trazia-te adormecida, como uma criança dando-te a minha protecção.


No meu corpo o teu corpo, o teu cheiro. Entretido com o tempo, deixei voar os sonhos para a terra de ninguém de alguém que não se considera alguém. Deixei partir a dor... Sem licença entrei no jogo das palavras, provando o sabor da saudade. Não é tristeza, o que sinto, não é dor que posso explicar. Posso esta noite encontrar as palavras mais simples para compor um verso, para te explicar que tudo afinal não foi vão.


Nas minhas mãos trouxe as minhas lágrimas. Como prova do vazio que me dás. Um barco a vela perde-se no horizonte do mar, longiquo, profundo, sentido. Eu perco-me por amor a um verso que o mar apagou na areia molhada. Ouve o meu grito, sente o meu corpo, bebe das minhas lágrimas, deixa-me saciar os teus lábios, perder-me nos segredos do teu corpo, das tuas linhas que contorno com os meus dedos.


Deixa-me perder por uma noite no teu corpo de deusa e eu serei deus esta noite.


Serei mago, mágico, vidente.


Serei anjo carente.


Corpo quente que se mistura com o fogo.


As minhas mãos não são macias porque transportam a dor da minha alma... São filhas do tempo. Do princípio, do fim e do recomeço. Do teu corpo faria a tela aonde depositaria o grito do pincel, da revolta absoluta. Dessa chama que me devora o interior, corroendo-me os orgãos.


Deixa-me gritar o teu nome esta noite que não serei eu. Não serei mortal. Olha-me nos olhos e sente-me na alma.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 12:07
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 15 de Junho de 2005 às 10:55
Adorei este texto. Nas minhas mãos corre um rio de sonhos, alimentados por belas palavras como as que aqui escreves. Beijinhoscuriosa paixao
(http://curiosapaixao.blogs.sapo.pt/)
(mailto:curiosa-paixao@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Junho de 2005 às 22:08
Texto poderoso, apelo sentido. Muito, tão belo.
Gosto das tuas palavras, gosto de me apereceber que o mundo está cheio de pessoas que sentem de forma tão plena e tão bonita. Faz-me acreditar naquilo em que aprendi a ser descrente...Lost in Space
(http://www.rainhadovazio.blogspot.com)
(mailto:helenaetrusca@msn.com)


De Anónimo a 14 de Junho de 2005 às 17:32
Texto sublime!!! Talvez por ser uma eterna apaixonada adorei a frase "deixa-me perder por uma noite no teu corpo de deusa e eu serei deus esta noite";) Beijo grande :))sylpha
(http://almanua.blogs.sapo.pt)
(mailto:sylpha@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Junho de 2005 às 14:58
"Olha-me nos olhos e sente-me na alma", esta frase
é o culminar deste texto magnífico, de onde salta intensidade e paixão. Gostei muito! Umbeijo e continuação de boa semana :-)Dora
(http://www.atrasdaporta.blogs.sapo.pt)
(mailto:A_Dora@sapo.pt)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo