Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2004

2005 que seja melhor que 2004

Mudanças, esquecendo desavenças. Brigas inuteís. Novos valores se ganham, novas amizades nascem. Um amor desejo. Lutas constantes. Como um sobrevivente vou lutando. Espero nunca sair derrotado. A derrota da vida é a morte. Nossa mortalidade. Mais um ano, mais batalhas ganhas, assim espero. Como um guerreiro, ergo o meu punho, cerro os dentes e parto para luta. Aqui e ali. Forte como sempre. No interior reside a força, a destreza. Vim de muito de longe, nasci a lutar e ainda insisto na luta que a própria vida me desafia. Serei sempre EU, não quero mudar. Ainda que não me amem, ainda que eu seja um nada, serei sempre EU. Não sei ser diferente. Nunca soube. Não sei fingir sentimentos de afecto. Quando amo, amo mesmo. Sou assim. que remédio. Não nasci para agradar, não vivo para agradar, vivo porque amo a vida apesar de todas as vicissitudes...Mais um ano se avizinha, espero um mundo melhor para todos. A paz uma certeza. Um bom ano para todos em tudo que mais desejarem. Votos do Jamour!!!

publicado por Ejamour de Carvalhais às 18:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Lágrimas do coração como chuva que cai e beija o chão...

Chora no silêncio, triste e cinzento. Lágrimas com nome de dor. Longe ti anseio pelo teu toque. Longe de ti sinto-te. Lágrimas do coração invadem-me como a caminhada do rio. Ondas de dor, calor é o teu amor. Resta-me esperar pelo o Tempo de felicidade que me prometeste... Mas pergunto-me vezes sem conta: Irás cumprir??? Irás realmente dar-me esse Tempo??? Choro por dentro com medo da promessa não cumprida. No meu silêncio oiço as minhas lágrimas dentro de mim. Em toda minha vida procurei por alguém que me limpasse as lágrimas do coração. Em toda minha vida procurei por alguém que me confortasse nas horas triste que me acompanham. Serás tu? Novamente pergunto-me. Quem me dera que sim. Não quero alimentar a ilusão. Prefiro a realidade.
Chora meu coração pela distância que nos separa. Quando me deito na minha triste cama, sozinho debaixo dos lençois, cobertores aquecem-me o corpo, delirio pelo teu corpo junto ao meu. Será realidade? Lágrimas do coração, como chuva que cai e beija o chão.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 12:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2004

Maremoto... Filhos da terra.

Somos filhos da terra, entregamo-nos a terra. Somos terra a terra, sentimos a terra nos pés, nas mãos, sentimos o cheiro da terra, eu faço, tu fazes parte da terra, essência da Natureza.
Somos filhos da terra, alguns que se abraçam semeando o amor, outros que se matam, semeando o ódio, a dor. Um gesto, um sinal que marca sem estar destinado em vários lugares que a terra nos oferece. O arco – íris não escolhe o lugar quando nasce na terra como simples inspiração. Inúmeros deuses para uma só fé… Religiões, raças, credos, cores do mundo que enfeitam a terra, somos todos filhos da terra. Maremoto... Filhos da terra, de vários lugares mas apenas VIDAS.


1 Minuto, uma vida inteira de silêncio. Vidas que se perderam...
1 Minuto do meu silêncio ofereço as vítimas.
1 Minuto das minhas lágrimas a todos. 1 Minuto a todas as vidas. Vem mar mas não tires VIDAS. Vem mar beija a areia molhada traz conchas... Nós somos filhos da Natureza, fazemos parte da terra, porque nos odiamos??? É tão simples a PAZ.
1 Minuto do meu sentir ofereço de coração as vítimas do Maremoto. Aonde quer que estejam, que tudo seja apenas uma passagem da vida que temos. Quem ficou que a dor seja suavizada.
1 Minuto, todos os segundos meus vos entrego... No meu silêncio minhas lágrimas são vossas e de todos os inocentes.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 11:02
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 28 de Dezembro de 2004

A tua voz!!!

Embala a minha alma, pobre de não te ter junto a mim, mas sinto-te a minha maneira. Meu sonho mágico.
A tua voz encanta-me, alimenta-me os desejos. Tudo o que quero de ti... Já te disse. Tudo o que te pedi de coração foi. Voz doce e meiga, voz de anjo que sussurra no meu ouvido a voz da felicidade. Voa-me o coração, asas lentas saem de mim, quando tua voz oiço. Quando me encanto e perco-me na vontade de ter. Inúmeros sonhos invadem-me... Sonho contigo de olhos fechados, abertos, tanto faz de dia ou de noite, sonho contigo na magia do meu sentir.
A tua voz faz-me perder em mim e em tudo que me rodeia.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 18:52
link do post | comentar | favorito
|

Vi...

Vi olhares de afecto... Gestos de afecto intermináveis, minhas lágrimas na hora da despedida, meu sorriso na hora da chegada.
Vi sorrisos de contentamento... Vi almas debaixo do luar abraçadas ao vento. Vi a lua encantada repleta de afecto. Vi um sonho tornado realidade... Vi-te no tempo que nunca mais te vi. Vi-te minhas raizes, da vida que me deram. Agradeço-vos na profundidade da minha alma.
Vi minhas lágrimas dizerem um adeus silencioso, um até breve na hora do regresso...

publicado por Ejamour de Carvalhais às 10:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2004

Dentro de mim...

Sinto-te dentro de mim, como uma luz, que se acende no meio da escuridão.
Sinto-te com medo de mim... Do meu amor que te quer consumir na realidade da minha vida. Não é ilusão. É a pura realidade, nua, despida com o frio seco de inverno. Fica aqui dentro de mim. Este lugar quente de amor. Não fujas de mim... Fica, entrega-te, sem medo. Fica, grita a minha alma. Nas noites de estrelas, de chuvas sinto-me ausente de mim, porque procuro-te e quero dizer-te ao ouvido: Que te amo. Tão simples quanto isso. Não tenho medo, porque se tiver medo não vou amar-te em paz. Não se ama com medo. Ama-se porque o amor assim deseja.
Dentro de mim, sinto-te como as pétalas quando florescem em Maio, abrem-se para o mundo. Abre-te para o meu amor. Abre-te deusa dos meus sonhos. Musa dos meus poemas, verso de amor que respiro nos meus sonhos. Dentro de mim espero-te como uma multidão de braços abertos.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:08
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 14 de Dezembro de 2004

Neste momento...

Se eu disser que te amo??? Seu disser que o meu coração só tem um lugar. O lugar que te pertence. o lugar do amor... O teu lugar.
Ontem Chorei lágrimas mudas. As lágrimas do mundo, do nosso mundo. Se eu fosse mágico... Se eu fosse fosse anjo... Tudo o que queria eras tu nas minhas asas.
Tenho o mundo nos meus sonhos que tu fazes parte dele. Tenho tudo e nada tenho, porque tu não estas aonde me dou, aonde eu amo-te na realidade da minha vida.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:29
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2004

Por ti vou até ao fim.

Assim é no amor. Os dias não se contam, as lutas são constantes, acreditar e ter esperança faz de nós vencedores. Verdadeiros vencedores. Apostar em algo, em nós, em alguém, faz de nós unicos, mesmo que depois a desilusão nos invada o coração, fazendo-o em ruinas. Ao menos tentamos.
De lado a lado, juntos como as asas das borboletas, sim porque uma borboleta não voa só com uma asa, assim é no amor. Os sentimentos não se combinam, nenhum sentimento de afecto, mas se tivermos algo por alguém, mas que recaia a dúvida, a incerteza, precisamos apenas acreditar, porque o hoje pode não ser como o ontem e o ontem pode não ser como o amanhã e o presente???? Por ti que me beijas a alma vezes sem conta, que me tiras de mim e me levas junto a ti, vou até ao fim. Por ti que escreves a tua vida na minha alma, vou até ao fim, não pedi, nunca se pede sentimentos de afecto, tudo acontece. Por ti que me fazes chorar quando recuas com medo da dor, da insegurança, com medo de tudo que te tira o chão que pisas, mesmo assim eu vou até ao fim por ti. Mesmo que digas que os nossos caminhos não se cruzarão lutarei até que me doa a alma. Até que me peças para que desista. E eu serei capaz de desistir por um amor??? Por ti, apenas por ti, que farei eu??? Se não lutar serei eternamente um derrotado. E no amor tudo se ganha e tudo se perde.
Por ti que me levas a lugares de sonhos, fantasias, ilusões, vou até ao fim. Sem o medo de perder um dia o meu coração, ao menos senti-te nas entranhas da minha vida. E sorri como uma criança quando ganha um brinquedo. Por ti que me dizes no teu silêncio, quem és, o que queres de mim, vou até ao fim. Por ti lutarei sem forças mas com vontade de te amar, porque por ti ja fiz algo, disse-te com todas as letras o tipo de sentimento que tenho por ti. Agora escolhe, sem medo, deixa fluir o amor em ti, deixa invadir-te um anjo que te quer proteger. Basta acreditares abre o coração porque encontraste alguém que por ti luta até ao FIM.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 17:14
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Uma noite de amor.

solitario1.jpg
Jantar a luz das velas, dois corpos que se amam, que se entregam ao desejo. No olhar, nos gestos o desejo reflecte-se como um corpo quando se mostra ao espelho. Uma noite mágica, uma noite que nunca se perde no meio das estrelas, perdura o desejo. Em cima da mesa, um ramo de rosas vermelhas, pétalas sorrindo. No meio das rosas um cartão, um poema de amor, um anel… As palavras têm outro sabor, sorrisos cúmplices intermináveis… Cada gesto, uma palavra de amor, um desejo, chama da paixão arde nos corpos, reflecte-se nas velas. Eu e tu, o mundo a nossos pés. O Tempo pára nesta noite de amor. O Céu parece tão perto, como se pudéssemos toca-lo.
Ouve a voz do mar, juntos num quarto, velas a volta da cama, pétalas espalhadas no chão, em cima da cama, escuridão sentida, no rádio uma música romântica, uma voz que nos enfeitiça ainda mais… O momento é único, simples e vivo, eu e tu, as nossas almas, abraçadas. Os nossos corpos juntos fazendo um só corpo, uma só alma.
O mar logo ali, minha voz mistura-se com a voz do amor, ouves-me? No teu ouvido, nesta noite de calor, de dois corpos que se entregam. Que se misturam como o vento se mistura com a noite. Ouve-me sussurrando as mais belas e dóceis palavras de amor, ouve-me sem receio e medo, abre as portas da tua alma, nesta noite singela e mágica em que meu corpo é teu, teu corpo é meu, nossas almas voando.
Minha voz perde-se no teu ouvido, minha alma cega e muda perde-se na tua. Eu estou aqui ao teu lado mas é como se eu estivesse do outro lado do mundo aonde os sonhos nunca têm um fim… Sobrevivem e nos fazem perder na doce loucura que nos tira da terra e nos leva a casa das fantasias.
Juntos, corpo a corpo, o calor, consome-nos, revira-nos, uma frase sai de mim como se tivesse escrito no teu coração a palavra AMOR.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 10:08
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Dezembro de 2004

Quando um homem ama uma mulher...

botao_rosadesabrochando12.jpg
Quando um homem ama uma mulher, é o complemento, a outra face, uma página que se vira preenchida com imensas linhas de amor. Tudo tão perto nada distante. O Céu é o limite. Estrelas cadentes, juras e promessas de amor. Quando um homem ama uma mulher, tudo faz para a proteger, como as asas de um anjo. Encobre, envolve e não a perde.
Quando um homem ama uma mulher, até o nada tem importância, todos os momentos têm o outro sabor na dor e na felicidade.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 16:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Natal - 1 mundo melhor para todos...

Harmonia, fraternidade, amor, paz, o silêncio das armas... Armas que nos destroem lentamente.
Tempo de perdão, Tempo de sonho, desavenças esquecidas, por pouco tempo o mundo deleita-se na verdadeira convivência humana. Abraços de fraternidade, emoção... O Céu ganha outro brilho, as palavras outro sentir. A magia do tempo de natal enfeitiça olhares, sensações, então porque não são assim todos os dias das nossas vidas?

publicado por Ejamour de Carvalhais às 11:46
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Dezembro de 2004

Anjo guerreiro do amor.

Voou noite e dia no meio das nuvens, componho versos de dor e poemas de amor no sorriso das estrelas. Bebo as lágrimas das almas que choram por amor... Abraço os relâmpagos, conforto os amores que amam e não são amados. Minhas lágrimas são nomes de vidas que buscam o amor. Minha espada é a magia das palavras, as mais doceís.
Voou interminávelmente entre o Céu e a terra, lutando contra a desilusão, suporto a magoa, alimento a esperança, escondo a vigança. O vento das minhas asas espalham o amor.
Voou na rota do amor, busco a certeza, a verdade, ignoro a dúvida, travo batalhas, revoluções contra o ódio.
Anjo guerreiro do amor, príncipe da luz, do aconchego sentimental. Ainda que a chuva deixe de cair, minha missão não mudarei, não sei mudar o caminho das estrelas, a minha essência, o veludo das minhas asas abraçam quem acredita no amor.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 12:42
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2004

Romeu e Julieta

Amor puro, sentimento coberto de fogo, história de amor, páginas perfeitas, até a morte é perfeita. Juras de amor intermináveis, promessas... O amor vive, sobrevive. Poemas de amor a amada, amor sincero, ardente, fogo que consome, arde a alma.
Amor, amor, amor, loucura que consome duas almas que se amam. Um adeus perpétuo, vive no leito da morte, a verdade do amor, prevalece, perdura.
De tanto amor escreverei teu nome no sorriso das estrelas para quando olhares para o Céu a noite vires o teu nome a brilhar.
De tanto amor, escreverei teu nome no meu corpo, tatuado, com as cores dos teus olhos.
De tanto amor, serei apenas teu, seremos apenas um só corpo, uma só alma.
De tanto amor, darei a minha vida, mais do que o meu simples coração, lugar que te pertence, na vida e na morte.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 16:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Homenagem...

velalinda.gif
Homenagem ao AMOR, a VIDA, ao vento, ao Tempo, as quatro estações. Homenagem as vidas inocentes que se perdem por este mundo fora... Nós não somos inteligentes, porque nos matamos uns aos outros.
Homenagem aqueles que conheci mas perderam o sopro da vida... Homenagem a Paz, que tanto procuramos e ela tão perto está. A Paz começa nos nossos corações.
Homenagem a quem me deu a vida. Homenagem ao luar, brilho intenso na terra, ao mar que nos suporta, confidente de muitas vidas. Homenagem a fé, a esperança, a harmonia, a aceitação. Homenagem ao planeta terra, nossa casa, nosso tecto que nos abriga, que nos conforta, acaricia. Homenagem aos seres do mundo, seres únicos, essências que não se perdem...

publicado por Ejamour de Carvalhais às 12:56
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Dezembro de 2004

E se eu te amar???

Fogo arde em mim, desejo de consumir a chama que me devora.
Tu estas ali, aqui, nos sonhos, nas estrelas, no sorriso do luar. Eu ando por ai. Lutas intensas, revoluções constantes. Abrigo incerto, cai a chuva serena, beijando os candeeiros a berma da estrada. Pergunto-me: E se eu te amar? Cai-me uma lágrima, perde-se no chão lamacento, mistura-se com a água do Céu. E seu te amar? E se eu te amar? Pergunto-me vezes sem conta. Não consigo encontrar a resposta, porque amar não se pede acontece. Não se combina a hora nem o dia.
E se eu te amar, meu coração não será como um vazo de cristal? Pedaços de mim no chão.
E se eu te amar, não serei mais uma história de amor? Uma página virada ao avesso.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 16:33
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo

.arquivos

. Abril 2017

. Outubro 2016

. Junho 2016

. Outubro 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

.links