Segunda-feira, 27 de Julho de 2009

5

 

Parabens

5 anos

meu espaco

sao  5 anos

neste mundo virtual

obrigado pelas visitas, pelos comentarios

Sao   5 anos

 

Um corvo veio ate a minha janela

trazia um beijo marcado numa das asas negras

nao vi de quem era, era noite cerrada.

Noite perdida em madrugadas silenciosas

queria de mim uma palavra, deixei no ar

um verso que dizia:

Fogem-me os amores

ficam-me os poemas

na infinidade da minha mortalidade

ate quando terei um poema inacabado

dentro de mim.

 

Sempre

E.j.Carvalhais

"Jamour"

 

 

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Estou aqui.

(Foto retirada da net)

Nao te vi aonde me encontrava

senti a tua presenca ao meu redor.

Pensei que irias falhar o encontro, disseste

por diversas vezes que seria o ultimo, trazias uma

mensagem para mim. Tinhas o rosto coberto, teus olhos

centilantes, fugazes como velas acesas. Tuas maos, feitas do

linho mais puro dos campos verteis que nos cercavam.

Teu corpo de pele macia.  Teus pes entregues a terra humida,

chovia, eu sentia a chuva lavar-me o rosto, cobrindo-me o corpo,

como o carinho do teu abraco.

Nao havia Tempo, nao havia compromissos, tudo parecia

tao suave e inocente, tentei falar, calaste-me com um beijo,

longo e profundo, tentei chamar pelo teu nome, perdi a voz

como que magia dos sentidos ausentes que nos fazem pensar

que ja nao existimos, somos apenas a criacao de um quadro

de um artista sem nome.

Estou diante de ti, esperando que se faca ouvir

a tua voz. Numa cancao sem fim. Eu estou sem mim,

e tu sabes disso. Olhas-me como se eu fosse teu, eu sinto

que sou teu. Eu nao me pertenco, nunca me pertenci, sempre

fui de quem me teve, de quem sentiu a minha essencia.

Continuas... Diante de mim, dizes: Vem, segue-me, faremos de 

nos um so. 

Hesito, confuso.

Se nao me queres, como te quero porque me

pedes para te seguir. Eu vejo nos teus olhos

a esperanca, o conforto emocional.

Sinto nas tuas palavras que as estrelas do meu Ceu

nunca perderao o brilho enquanto olhares-me

como quem olha o infinito com amor. 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:49
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 11 de Julho de 2009

Mundo inconstante

 

 

 

 

Ja nao temos percepcao

Ja nao temos razao, perdemos

a compreensao

neste mundo inconstante e tao

distante.

 

(Foto retirada da net)

 

Ja temos direccao nesta estrada

vazia

Ja nao sentimos a maresia.

Perdemos a condicao humana

neste mundo inconstante.

Divisoes

Destruicoes

O sufoco de quem perdeu

tudo e so restou um grito

mudo

Ja nao temos o sopro

do vento que nos

suaviza o tormento

Tudo o que temos e

nao temos chega-nos

aos nossos olhos.

Ja nao temos essencia

perdemos a inocencia

neste mundo inconstante

 

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 14:12
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Julho de 2009

O marinheiro do mito

 

Como um marinheiro sem barco, navegando

nas aguas turvas que abracam a vida.

Como arvores de galhos fortes, folhas verdes

aonde as gaivotas fazem seus ninhos a beira-mar.

Eu nao sou triste nem infeliz, sou feliz a maneira dos

anjos e vivo a merce daquele que fez o mundo.

Ondas salgadas de paixao, sereias fazendo amor com

anjos.

Flores como conchas no fundo do mar com petalas de varias cores

brilhando como o Ceu repleto de estrelas.

Marinheiro do mito, trazendo historias, olhos vendados,

lagrimas de saudades, encanto de paixao que se abre

ao mundo de uma mais madrugada salgada.

Eu estou aqui...

Estou ali, junto a espuma que me envolve o corpo.

Perdi meu barco, meu tormento 'e saber que dei tudo

de mim, ha quem de mim levou tudo deixando o nada.

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo