Sexta-feira, 29 de Abril de 2005

Abre as asas...

Solta o amor, deixa-o fluir, ganhar asas e voar.


Voar até mais não puder. Abre as asas.


Solta a vida, ainda que existam obstáculos. Grita o amor dentro de ti.


Em todas as noites e dias que te procuras ausente de ti. Não te percas, abraça-te, apertando o teu coração junto ao amor.


Não fujas, abre o coração, deleitando-se no sabor do beijo do amor. A vida é logo aqui ao virar da esquina aonde te sentes.


Solta o hoje e o amanhã, não esquecendo o ontem.
São metades de ti, são detalhes que te pertencem, não descurando o que foi vivido, o que vive e o que ha-de viver.


 



Quando o rio beija o mar não descura o sabor do beijo.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 14:24
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 2 de Maio de 2005 às 19:04
Texto muito bonito! Mil beijinhos!!sussurros da lua
(http://blogfullmoon.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sdrcarvalho@hotmail.com)


De Anónimo a 2 de Maio de 2005 às 16:42
Num dia de sol, uma lágrima me refrescou, dirigi-me a beira-mar e a brisa de uma onda me beijou.....nesse instante arrepiei-me.......senti saudades de ti, do teu sorriso, quis gritar teu nome...mas o mar afogou-me a voz.....vi por instantes tuas asas.....quis segurar-me mas não consegui.......fiquei aflita por perder-te...........e afinal fui eu que me perdi.....eskeçi o que era a vida...esqueci o que era sorrir...esqueci o que é a alegria......e logo desisti.
Acordei na areia, já sem forças para me levantar, pegaste-me pela mão ajudaste-me a recuperar...sorriste-me...logo senti calor, alegria e uma vontade de dizer AMOR....apesar do meu sofrimento, fizeste-me perceber.....que na vida tudo dura o suficiente para não se esquecer.
Beijos desta tua amiga que nunca te esquece.......porta-te meu anjo Jaime
EXTINTA
</a>
(mailto:andyfigueira@hotmail.com)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo