Sábado, 20 de Novembro de 2004

Ando por ai...


Ando por ai cinzento como o tempo, acidentado com o destino, sem a cor do teu olhar, os teus gestos.
Ando por ai como uma guitarra sem cordas, sem o brilho de uma música. Ausente, distante.
Ando por ai como as sombras que fogem dos próprios corpos, navios naufragados, momentos esquecidos.
Ando por ai, por aqui, por lugares sem nomes, ando sem direcção como o vento.
Ando sem mim, sem ti que me beijas a alma e fazes-me voar sem asas.

publicado por Ejamour de Carvalhais às 09:51
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 23 de Novembro de 2004 às 20:43
amar é como dizes, mas em poucas palavras, vaguear sem rumo... é sofrer na felicidade... é viver contraditóriamente ao lógico... ;) bjdaniela
(http://pinceldagua.blogspot.com)
(mailto:fdaniela_89@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Novembro de 2004 às 09:09
Andar perdido é ter a solidão como companhia...
Andar perdido é estar apaixonado e não saber o que fazer com o sofrimento que isso nos provoca... Mas é bom amar!!! beijo!!
madalena
(http://madalena.blogs.sapo.pt)
(mailto:madalena_ruiva@sapo.pt)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo