Terça-feira, 22 de Novembro de 2005

Um homem sem alma.

 


Todas as formas de amar experimentei. Em todos os lugares andei, em sonhos que foram meus. Não sei se houve lugares que deixei a alma. Sinto que me sinto despido.


Sinto essa ausência própria de mim. Procuro-me, no mais profundo de mim. E nada encontro. Parti sem me despedir. Parti para lugares que desconhecia. Alguém ficou com a minha alma. Não sei quem, nem aonde.


Sinto que não me tenho. E nessa minha simplicidade consigo olhar dentro de mim. E vejo uma criança perdida, algures, do outro lado do mundo. De um mundo que criei a minha volta com várias personagens, máscaras de figuras que conheci em lugares aonde nunca estivera. Fui das cartas que nunca cheguei abrir. Das músicas interrompidas, dos beijos soltos ao sabor do vento. Fecho os olhos e vejo a minha alma do outro lado da rua, acenando-me melancolicamente. Tentando dizer-me algo.  


Um homem sem alma, um olhar sem brilho, olhos cegos, deixando apenas o coração ver. Mas eu parti para bem longe de mim. Assim como o luar despede-se da terra eu parti sem mim e não sei quando voltarei. Talvez um dia quando encontrar a minha alma aonde se despediu do meu corpo. Nesse lugar distante. Lugar que me sente. 


 


 


 


 


Um homem sem alma


 


Como uma concha vazia


Uma árvore despida, sem folhas


Uma voz sem eco


Um túnel sem fundo, esperança morta e silenciosa.


Uma lágrima como a chuva que cai sem direcção. Um coração como o deserto. Vago…


 


 


 


Sem alma nada somos. Somos o nada que nos abraça a vida.


 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 14:55
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Anónimo a 27 de Novembro de 2005 às 23:03
Tu tens uma alma... Uma alma romântica imensa! :)
Mas entendo esse sentir de fragmentação, de incompletude. De pedaços de nós indefinidos, espalhados e perdidos. Mas um dia encontrarás esse ponto certo que buscas. Acredita *Lost in Space
(http://www.aquelelugarperdido.blogspot.com)
(mailto:etrusca@gmail.com)


De Anónimo a 26 de Novembro de 2005 às 19:01
Não creio que sejas um homem sem alma.... mas percebo-te... diria que te sentes incompleto, talvez vazio... mas sem alma não... ;) beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)


De Anónimo a 26 de Novembro de 2005 às 15:53
Nestes momentos em que nos encontramos assim, despovoados de projetos, ausentes da vida, tudo parece conspirar para que nossa visão do mundo se torne a mais negativa possível. São fases, apenas! Aprendamos com elas a sermos seres humanos melhores, não só para os outros, mas principalmente para nós mesmos, sem muitas cobranças. Um beijo terno, amigo, do meu para o teu coração. Um final de semana de encontros prazerosos... contigo mesmo!Mily
(http://calunguinha.blogs.sapo.pt)
(mailto:calunguinha13@hotmail.com)


De Anónimo a 25 de Novembro de 2005 às 23:26
Olá Jamour

A alma está SEMPRE em nós... e temos que a acompanhar em todas as viagens. Por vezes "vamos" onde não queremos... mas mais tarde compreendemos sempre os porquês!

Gostei muito de te ler

Beijinhos

BfsBetty Branco Martins
(http://bettybrmartins.blogspot.com)
(mailto:betty_martins@net.novis.pt)


De Anónimo a 25 de Novembro de 2005 às 22:40
Profundo o reflexo deste trabalho. Gostei de ler. Beijinhos.Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 25 de Novembro de 2005 às 22:40
Profundo o reflexo deste trabalho. Gostei de ler. Beijinhos.Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 25 de Novembro de 2005 às 22:40
Profundo o reflexo deste trabalho. Gostei de ler. Beijinhos.Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 23 de Novembro de 2005 às 00:36
Não,não,não...a alma não se perde assim,pode estar na viagem desconhecida e tens de faze-la,para que se encha de luz e de amor,assim poderás seguir junto com ela,só tens que lhe pedir.Gosto muito do que escreves.Beijinhos
MariaII
Maria
(http://vahalla.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariam12@sapo.pt)


De Anónimo a 22 de Novembro de 2005 às 21:01
Por toda a simpatia o meu muito obrigadoalexandre
(http://ascartasperdidas.blogsppotcom)
(mailto:abentodesousa@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Novembro de 2005 às 16:05
O caminho das palavras, por vezes errante, sem nexo, por vezes só, sem plenitude, sem brilho, sem cor, vezes sem conta, vezes demais… palavras que nos saem da alma com mágoa, sem a complexidade que se espera, sem a cor que lhes costumamos atribuir… mas verdadeiras e sentidas, como só a alma nos pode dar…SHINE
(http://.)
(mailto:mssinet@hotmail.com)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo