Quarta-feira, 16 de Novembro de 2005

A sede do amor...

Procurei teu corpo, teus lábios para


 


saciar


 


a sede do amor.


 


Procurei teu calor para esquecer a dor.


 


Procurei tua sedução...Teu coração...


 


Procurei teu olhar no meu… Fui atingido


 


por


 


uma flecha, não derramei sangue, mas sim


 


amor por ti.


 


Procurei o prazer do teu corpo debaixo


 


dos


 


meus lençóis


 


O teu cheiro...


 


O teu toque...


 


A tua voz de veludo no meu ouvido, deusa


 


que


 


me enfeitiça.


 


Procurei por ti com um ramo de pétalas


 


queria espalha-las no teu corpo.


 


 


Em cada pétala dizia a palavra: "amo-te"



(Dedicado ao amor... Que nunca vi...)

publicado por Ejamour de Carvalhais às 09:11
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De Anónimo a 21 de Novembro de 2005 às 21:45
Dedicado ao Amor que "ainda" não viste mas irás ver certamente...muito bonito este texto…
Um abraço
Orfeu
(http://www.ruas-sem-nome.blogspot.com)
(mailto:mabaorfeu@portugalmail.pt)


De Anónimo a 21 de Novembro de 2005 às 16:36
Estas tuas palavras devem ser por ti guardadas... e sem dúvida que serão por ti declaradas num tempo breve, e sem o rodapé!
.
.
Fica bem...Miguel
(http://vertentespoesia.blogspot.com/)
(mailto:as1140188@sapo.pt)


De Anónimo a 21 de Novembro de 2005 às 13:08
=))Sara (AmigaTeatro)
(http://mundoajanela.blogspot.com)
(mailto:mundoajanela@hotmail.com)


De Anónimo a 21 de Novembro de 2005 às 13:06
Sou eu que aprendo a escrever quando aqui venho, amigo! Obrigada por suas carinhosas visitas e palavras tão generosas. Seu poema nos mostra a doçura de uma declaração por um amor nunca vivido, apenas imaginado, mas tão sentido e tão bem expressado, como se a realidade o tivesse inspirado. Esses amores assim idealizados trazem verdadeiras pérolas ao coração. Um carinhoso beijo, e os votos de uma semana iluminada de amor.Mily
(http://calunguinha.blogs.sapo.pt)
(mailto:calunguinha13@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Novembro de 2005 às 03:17
Jamour

A tua deusa de voz de veludo... Um dia encontrarás... e viverás esse doce amor.

Beijinhos

BfsBetty Branco Martins
(http://bettybrmartins.blogspot.com)
(mailto:betty_martins@net.novis.pt)


De Anónimo a 19 de Novembro de 2005 às 17:25
Belo blog que tens aqui. É sempre bom viajar por páginas e lugares como este. Parabéns.rainbowsky
(http://www.rainbowsky.blogs.sapo.pt)
(mailto:paulorainy@yahoo.com.br)


De Anónimo a 19 de Novembro de 2005 às 14:58
Agradavel canto ao amor. Continue! Bom fim de semana. Beijinhos.Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 18 de Novembro de 2005 às 11:15
O amor que não conheci,
virá numa manhã radiosa,
vai pedir-me acolhimento,
vai viver no meu seio,
de mim vai depender,
e, eu dele dependerei...
O meu amor desconhecido,
virá numa manhã radiosa...

Gostei muito e ... saiu,
RickyHenrique Santos
</a>
(mailto:ricky444@gmail.com)


De Anónimo a 18 de Novembro de 2005 às 09:26
Tudo longe, tudo perto, tudo vagueando na minha mente… Cada minuto que passa há um desejo que aumenta, o desejo de te ter junto a mim, de sentir o bater do teu coração junto ao meu corpo, o desejo de te tocar, de te amar… As tuas palavras iluminam a minha vida e fazem-me acreditar que algo transcendente nos uniu… Sinto tanta falta daquilo que nunca senti…SHINE
(http://.)
(mailto:mssinet@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Novembro de 2005 às 23:01
Se amor fosse assim declarado... a vida era bem mais simples... Está magnifico!!! Gostei, beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo

.arquivos

. Abril 2017

. Outubro 2016

. Junho 2016

. Outubro 2015

. Abril 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Março 2012

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

.links