Quinta-feira, 20 de Outubro de 2005

Leva-me nos teus braços.

Perdido nos braços do tempo. Choro o passado, o que me fez sorrir a alma. Perdido no olhar do passado, quando chorava as lágrimas de felicidade… Essa alma nunca foi tua, foi dos corpos de pecado que se escondem por de trás de máscaras. Suave e doce veneno. Entrega o teu corpo a quem te deseja vorazmente. Consumo-te com o olhar, sou um toxicodependente do amor. Do corpo que mostras ao espelho e sorris com a vergonha de uma criança. Vem, beija-me mordendo-me os lábios, acariciando meu corpo despido como uma árvore sem folhas. Deixa ouvir o teu grito, deixa que o prazer fale por ti a linguagem do teu sentir. As árvores a berma da estrada sorriem quando o vento acaricia os seus galhos. Vou cantar baixinho no teu ouvido as vozes dos anjos que sorriem nas almas que amam. Dá-me o teu destino e será entregue num templo que nunca fechou as portas ao amor… Leva-me nos teus braços, dá-me o teu abraço. Sente o meu corpo quente.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 13:55
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 24 de Outubro de 2005 às 20:19
Ah, essa doçura de se entregar ao ser amado, de pedir sua entrega... essa junção de corpo e alma que se faz na ternura e na paixão... como sabes retratar bem esses momentos, amigo. Uma semana de muita alegria e realizações. Beijos e afagos, com carinho.Mily
(http://calunguinha.blogs.sapo.pt)
(mailto:calunguinha13@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Outubro de 2005 às 02:43
E que mais dizer senão magnifico... gostei, beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)


De Anónimo a 22 de Outubro de 2005 às 00:02
Um bonito poema, como já nos habituou... Bom fim-de-semana.eternapartedemim
(http://eternapartedemim.blogs.sapo.pt)
(mailto:lucosta@netvisao.pt)


De Anónimo a 21 de Outubro de 2005 às 17:34
Olá Jamour

Que os braços te levem sim... para um ninho de amor... que te percas e que te encontres ... e sejas feliz :)

BeijinhosBetty Martins
(http://bettybrmartins.blogspot.com)
(mailto:betty_martins@net.novis.pt)


De Anónimo a 21 de Outubro de 2005 às 12:48
Gostei de ler este perder-se, encontrando-se. Beijinhos. Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 20 de Outubro de 2005 às 15:17
Uma verdadeira cascata de sensibilidade. Muito desejo que a tua súplica seja atendida.

1 Bj*
LuísaLuísa Mota
(http://luadepedra.blogspot.com/)
(mailto:luadepedra@gmail.com)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo