Domingo, 25 de Novembro de 2007

Filho de Deus

 
Aceitai Senhor a minha vida para

que facas dela Vossa

Aceitai Senhor o meu coracao para

que facas dele Vossa

Morada.

Eu para viver preciso de acreditar em algo

Esse algo que me faz mover contra barreiras,

obstaculos que encontro durante a minha vida.

Aceitai Senhor a minha prece de Paz e Amor.

Eu nao tenho nada, a nao ser

a minha FE

Eu serei nada se um dia perder

a minha FE

Nao temerei o caminho da escuridao

pois o Filho de Deus sera sempre

a luz do meu caminho

Lutador e sobrevivente serei sempre

pois quando perco as forcas

Vos ajudais-me a seguir o meu caminho

Quando choro Vos me lavais a alma

com amor

Filho de Deus aceitai a minha prece

tanto faz dia ou de noite

pois faco-o sempre de coracao aberto.

Se eu deixar de acreditar 'e porque

deixei de ser Eu.

Nada temerei enquanto estiverdes ao meu lado.

E quando eu partir deste mundo abri-me a porta

do Vosso Reino e fazei de mim um

dos vossos

servos.

Para todos que conheci e partiram,

deixo-vos a minha prece e a minha

magoa de nao vos ter dito adeus,

ate um dia... Voces sabem quem eu sou.

sinto-me: Filho de Deus
tags:

publicado por Ejamour de Carvalhais às 10:44
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Maria a 5 de Dezembro de 2007 às 18:59
Olá Jamour espero que estejas bem.
Somos todos partes de Deus na Sua Unidade Santificada.Existem os que acreditam e têm fé e os que simplesmente vivem noutro lado,não quer dizer que não estejam certos também.
Cada um de nós vive a experiência da evolução através da vida.Todos somos Amor.
Este é o meu pensamento.
Beijinhos e um sorriso
Maria


De Moonlight_Isabell a 7 de Dezembro de 2007 às 17:45
Estou de volta … Ou Não … Nem eu sei … Mas decidi visitar-vos a todos e saber como vão as coisas por aqui. Muitos Beijinhos Cheios de Saudades deste Nosso Mundo

Ate Breve … Ou Não … O Tempo o Dirá …

Bom Fim de Semana

Beijos Doces


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo