Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008

Um bom homem nunca morre.

Deserto de vidas conheci, intemporais, imortais no meu pensamento, partiram nas asas da morte, mas ficaram nas asas da vida da memoria.

Sobrevivem como fragmentos do meu Eu. Um bom homem nunca morre, nao sera como os ponteiros de um relogio morto pelo o Tempo. Muito menos como o deserto vasto, longinquo e profundo na sua tristeza imensa de vida estranha.

Conheci homens que choravam como criancas mas nunca vi uma crianca chorar como um homem. Eu ja vivi varias vidas, vivi varias mortes, ausencias de quem partiu e deixou a saudade da dor, mas nao do esquecimento.

A bondade que fazes em vida, depois da morte sera a tua salvacao para jamais te esquecerem em vida.

Um bom homem nunca morre 

ainda que o vento deixa de ser vento,

a lua deixa de encantar.

Aprendi a viver com homens que sabiam amar a vida, e mesmo depois da morte, eles continuam a sorrir, porque deixaram no pensamento de quem os conheceu que um bom homem nunca morre enquanto a memoria do coracao sentir a presenca de um bom homem que partiu e nunca mais voltou.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 21:06
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo