Sexta-feira, 30 de Setembro de 2005

Uma viagem no Tempo.

banda.png


Uma viagem no Tempo. De volta a terra batida, das mães que lavam a roupa na correnteza do rio. Dos meninos que dançam a volta da fogueira escutando histórias de antigamente, de sereias que beijavam vidas destruídas, modificando-as para o bem. Dos filhos que perderam os pais, dos pais que perderam os filhos. Das casas construídas de telhado de zinco e pau de bambú. Das crianças inventando brinquedos de uma infãncia destruída, limpando lágrimas de um rosto que esconde a dor de um Tempo esquecido no canto da memória. Do luar que tem outro sorriso, das estrelas que têm outro brilho, a terra outro cheiro, a chuva outra música.


Das pessoas que se comprimentam na rua sem se conhecerem, das árvores a berma da estrada repletas de cores e brilhos, troncos pintados. Dos bairros em festas, das igrejas entregues a fé. Das dificuldades vencidas com um sorrisso. Do Tempo que passou nas asas do esquecimento. Nos rádios as músicas trazem a memória de um Tempo que fora cruel, ou não. De um Tempo rendido ao próprio Tempo. De um Tempo presente.


Das infâncias, dos jogos de futebol com bolas de trapos... Trapos esses apanhados na lixeira. Do arco-íris cortando o Céu dias seguidos. Dos mares como feitiço, da areia molhada, das dunas desafiando o forte vento. Dos pescadores em alto-mar, candeeiros acesos iluminando o mar. Cânticos tristes de pescadores puxando redes, mas com olhares de esperança. Teu filho é meu filho porque somos irmãos, de sangue, da terra, do Tempo e da esperança.


Amanhã seremos a aurora, um novo começar. Deixa esse desalento que amanhã Deus vem a tua porta. Outro dia nascerá, outro dia seguirá, filhos de outros dias, de outras noites.


 


A paz deve antes nascer dentro de nós para virar semente na terra, brotar e dar flores.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Anónimo a 29 de Novembro de 2005 às 11:21
como GOSTEI!!!... Já estive nessas paragens que fazem parte das lembranças de infância... E agora estou noutras com o mesmo perfil,aroma...Visão da infancia que comove.
maria / Moçambiquemaria
</a>
(mailto:mjpintobasto@hotmail.com)


De Anónimo a 3 de Outubro de 2005 às 22:29
Magnifico o último paragrafo!!! Sem paz interior o homem não poderá semear a paz na terra... Gostei, beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Outubro de 2005 às 18:09
...tomei a liberdade de levar um de seus textos para meu blog, achei belo demais e quis mostrar la, claro que com devidos creditos teus e teu link...agradeço tb sua linda visita...bjus£å£I
(http://www.cantinhodalaranjalima.blog.uol.com.br)
(mailto:laranjalima2004@hotmail.com)


De Anónimo a 2 de Outubro de 2005 às 12:52
Muito bonito...um hino à Paz.
Bom trabalhoorfeu
(http://www.ruas-sem-nome.blogspot.com)
(mailto:mabaorfeu@portugalmail.pt)


De Anónimo a 1 de Outubro de 2005 às 03:15
..é tudo muito encantador aqui...lindo demais!!..adoraria levar vc para meu blog...para amigos conhecerem suas palavras ....até...£å£i
(http://www.cantinhodalaranjalima.blog.uol.com.br)
(mailto:laranjalima2004@hotmail.com)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2005 às 21:35
Sem muitas palavras mais: um grande abraço a Angola. Língua da nossa língua! Povo esse que é o nosso povo, que somos nós esse mesmo povo... E não devemos esquecer isso!
.
.
.
Fica bem.. Miguel
(http://vertentespoesia.blogspot.com/)
(mailto:as1140188@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2005 às 20:00
Jamour

Estou encantada com o teu texto. O balancear das tuas palavras entrou em mim como um suave vento, que me despertou, que tenho dentro de mim...

Magnificamente bem escrito!

Bom f. de semana

Um beijo Betty Branco Martins
(http://bettybrmartins.blogspot.com)
(mailto:betty_martins@net.novis.pt)


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo