Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

Como um barco no meio do mar.

Eu vi o luar, repleto de lagrimas

Eu vi a poesia cantada por ti que nunca deixei de amar.

Tu sabes que eu amo-te...

Sempre vou te amar.

Olha para mim, eu choro?

Estas nao sao minhas lagrimas.

Sao tuas.Sao tuas porque bebo das tuas lagrimas na tua alma.

Se eu morrer primeiro que tu, enterra-me de pe

para ver os olhos do amor quando eu chegar ao Ceu.

Hoje eu vi Deus numa asa de um anjo, eu chorei e Deus disse:"

Eu bebo das tuas lagrimas porque tu es meu filho, nao fica com medo,

amanha sera um dia bom para anjos como tu.

Eu sou um barco no meio do mar. Nao me amas?

Ate amanha!!!

Princesa do meu mundo.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 20:08
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo