Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

O teu corpo nas minhas maos.

Entrei de mansinho na tua cama

quente como o fogo do inferno,

passeei as maos no teu corpo de deusa

visitei cada canto, andei em cada curva, linhas

compostas por cancoes de amor.

Eu fui teu, tu foste minha, semeei dentro de ti

jardins eternos. Momentos nossos, eu sou chuva,

tu es flor, beijo-te incessantemente.

Chamas por mim, extase, excitacao, talvez eu

nao te mereca... Diz-me tu, ja fizeste amor com um anjo?

Ganhas asas, percorres galaxias, tocas a lua como quem toca

uma guitarra, ves o teu rosto na estrela que mais brilha.

Nao abras os olhos porque eu ainda estou aqui... Sentes-me, nesse

sonho sem fim.

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 11:47
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo