Sábado, 8 de Agosto de 2009

Depressao silenciosa

Tirem-me daqui!!!

Ja nao aguento mais

ja nao me suporto, nao me quero ver

nunca mais.

Alguem me ouve nesse quarto

escuro cercado de silencio.

Folhas de papel nuas e rasgadas no chao

Ja nao me aguento mais

que sentimento 'e esse que me aperta

o peito e nao me faz respirar

o meu ar interior.

Secaram-se as flores do meu jardim

Secaram-se as palavras que eu despia

com amor hoje visto-as com desilusao.

Alguem me ouve?

Ahhhhhhh, alguem me ouve?

Bato em varias portas que me cercam a vida,

uma casa vazia, recordacoes perdidas.

Por favor

tirem-me daqui deste espaco

que me mata aos poucos, deste lugar sem nome

deste manto  de solidao existente.

De escuridao sentida,

cor dos meus olhos.

Mae, pai, meus irmaos, sangue do meu sangue

aonde estao?

Nao vos vejo ainda que os meus olhos

estejam abertos, nao vos sinto como oico o bater

do meu pobre coracao, quero chorar e gritar ao mesmo tempo,

quero sair daqui desde medo, deste

lugar aonde morro aos bocados,

aonde perco o que resta de mim, levem-me daqui por favor,

estou triste e revoltado, morto e vivo ao mesmo tempo,

uma morte interior, sinto apenas a carne quente deste corpo

que suporta este sentir, esta angustia.

Sinto dor, dentro de mim, inexplicavel, sinto-me como um

vendaval destruindo-me por dentro, nao me sinto no poco

sinto-me sim cercado por inimigos invisiveis,espadas, trespassando-me a

alma e retirando-me tudo o que sou.

Aonde estao as flores do meu jardim

que alegremente sorriam-me para mim?

Aonde estao as minhas poesias, os beijos

que senti os abracos que tive?

Aonde esta o meu Deus?

Ahhhhhhhhh, alguem

ouve o meu grito?

O som da minha lagrima

neste chao

que me falta.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 17:25
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Amanda Andrade a 20 de Novembro de 2009 às 21:54
Lembra te de 1Corintios 10:13.....Deus so te da aquilo que podes aguentar...por isso....seja forte!!!


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo