Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Observacao!!!

Pedacos de folhas secas espalhadas

no chao, incompletas de uma arvore

despida a merce do tempo.

Neste jardim, rodeado de bancos de madeira, voam borboletas, passaros, vozes humanas.

Baloes de varias cores enfeitam o Ceu cinzento, criancas soltando gargalhadas

interrompidas pelo latir de um cao.

Rua comercial, lojas de diversos produtos, consumo

constante, alguem com um mapa na mao pergunta

num ingles misturado com espanhol:

Tu conoces? no?

Thank you, muchas gracias.

Correria infernal perdendo tempo para nos

mesmos, porque tentamos viver depressa demais.

Do outro lado da rua, o mar mostra a paz do tempo,

num vai-vem incessante, contagiante, silencio

no pensamento.

Amanha sera outro dia.


publicado por Ejamour de Carvalhais às 16:55
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De namibiano a 7 de Outubro de 2009 às 12:42
Estao abertas inscricoes para participar na III Antologia de Poetas Lusofonos, veja regulamento e inscricao neste link
http://coresepalavras.blogspot.com/2009/10/iii-antologia-de-poetas-lusofonos.html
Kandandu


Comentar post

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo