Quarta-feira, 7 de Outubro de 2009

Na minha cidade

(Foto retirada da internet.Benguela.)

Na minha cidade  ha sorrisos desenhados

a carvao nos muros brancos.

Ha a poesia no andar das mulher

encanto divino, feminino.

Ha bairros,ruas simbolizando a

sobrevivencia, ha o luxo e a miseria,

diferentes racas, credos e religioes.

Ha a terra batida, pes descalcos,

manhas magicas anunciadas

por galos. Arvores a berma da estrada, quintais aconchegantes,

vidas agitadas.

Ha sonhos e desilusoes, igrejas como conforto,

ha rios que fazem poemas de amor no meio das montanhas dedicados ao mar. E quando a lua se despe a luz das estrelas sereias

fazem amor a beira-mar .

Na minha cidade ha lugares que nao tem agua, electricidade, escolas sem professores, hospitais sem condicoes, casas sem tectos, burocracia como o pao de cada dia...

Ha sonhos interrompidos pelas vicissitudes da vida,

ha a delicia dos frutos tropicais, riqueza do mar que nos abraca, ha lagrimas que caem como a chuva, coracoes

perdidos, na amargura do quotidiano.

Quem me dera que um dia a minha cidade

acordasse como um poema de amor sem Fim.

 

Benguela - Cidade de Angola

sinto-me: nostalgico
tags:

publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:24
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo