Sábado, 12 de Junho de 2010

Aberto a Vida

Eu quero um livro, sem titulo

sem capitulo. Aberto a vida,

ao sentido pratico e existencial,

revestido de poesia, cores alegres,

fortes como trovoes.

 

Eu quero um Tempo, so meu, so teu,

que nos encontremos na rota do amor,

sem estradas desalinhadas, sem macula,

simplesmente perdidos um no outro.

 

Eu quero assim, que tudo seja simples,

claro, que nao haja o lado lúgubre da vida,

ao meu lado, eu quero dar e receber, e nessa

entrega eu encontre o que tudo dei.

 

 

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 16:32
link do post | comentar | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo