Sábado, 16 de Setembro de 2006

Até sempre

Não quero falar de amor.

Não...

Não quero gritar por amor até que me

doa a alma

Não...

Antes vou oferecer-te estas lágrimas

num adeus silencioso. Vou partir para

bem longe de ti. Mas  ficarei nas

palavras que te beijaram

o corpo sedento de amor. Serei o teu

diário, teus segredos levarei.

Num momento meus braços serão teus

num abraço apertado

Não vou escrever o teu nome nas

estrelas, a beira-mar vou fazer o

meu túmulo, eu serei mar...

Vou morrer, não será por  amor, mas

por saudade  dos beijos que não

beijei, do corpo

que não toquei.

Vou partir... Mas vou ficar...

Não vou chorar na despedida... Vou

guardar as lágrimas para regar

as flores do meu jardim que têm o teu

olhar.

Adeus... Que eu já volto... Vou para

bem longe. Num lugar sem nome,

depositarei as chagas da minha da dor

              

              Adeus

tags:

publicado por Ejamour de Carvalhais às 10:16
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Até sempre