Terça-feira, 21 de Março de 2006

Falar de ti.

Dentro de uma redoma
nossos corpos morrem de desejo
Vivo no calor dos sonhos, das magias
sentidas. Do vento forte numa noite de temporal
Dentro de um baú, recordações guardadas.
Dentro de mim, o que em ti busco. Loucos são
aqueles que descuram o amor dentro deles.
Falar de ti, é falar de amor perdido em lugares
que nunca foram nossos.
Falar de ti é falar dos poemas rasgados
dos versos esquecidos.




publicado por Ejamour de Carvalhais às 09:06
link do post | favorito
De Angel of Obscurity a 21 de Março de 2006 às 20:48
oh Jamour, o texto está liiindo. muito muito expressivo e sentido. Identifiquei-me mais que nunca com um texto que não meu. viciei-me nas tuas palavras. pois é verdade, ha momentos em que as lembranças e todos os momentos nascidos, vividos e sentidos brotam de uma semente há muito escondida. é relembrar, recordar, reviver.. é nesses momentos que devemos erguer a cabeça e olhar em frente tendo em conta os bons momentos passados. são os momentos felizes, momentos de sonho ou simplesmente sonhados que alimentam a nossa força e coragem.. gostei muito. foi bom neste dia de anos=) ler algo tao identificativo:) obrigado;P abraço []


Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.


.Autor:Ejamour de Carvalhais

Não sou poeta, nunca fui, nunca desejei sê-lo. Sou apenas amante das palavras... Nesta folha negra deposito o que a minha alma me diz ao ouvido. Voz singela, de veludo, encanto que sinto a devorar-me o corpo. Rendo-me a simplicidade sentida da minha Alma, Fé, Essência que me guia na luz do amor. (Obrigado pelas visitas e comentários...)

.pesquisar

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução

. Um tempo