Terça-feira, 24 de Maio de 2011

No infinito dos nossos dias

Neste lugar de contratempo

de olhares perdidos nas asas

da esperança, espera-se, busca-se

o infinito dos nossos dias, numa estrada

sem fim, sem destino, de hora marcada com

o tempo.

Eu tenho os dias marcados nas mãos de quem

trabalha sem pensar no manhã, assim como tu

que vives entregando-te a vida sem medo, sem pranto,

de lágrimas secas.

A vida so te dá o que suportas,

o teu fardo, é leve comparado

com a cruz de Cristo.

Fonte luminosa de amor

vivo

mágico,

vem e deita-te ao lado de quem te salva.

No infinito dos nossos dias, reside a resposta

da procura.

 


publicado por Ejamour de Carvalhais às 15:14
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.A voz da alma

. Vejo-te

. Abraço não sentido

. Diferente

. O teu nome

. Eu a ti, pertenço

. Até amanhã

. ... E no natal.

. Eterno

. Um poema só teu.

. Sedução